sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Separatismo na Escócia/ Dicas ENEM 2014

Alunos, é preciso se atentar às reações das pessoas ao redor do mundo, quando fatos relevantes acontecem em um determinado local. Isso por que, pessoas se identificam com algumas causas reagindo de forma similar. No caso do separatismo na Escócia, já existe repercussão em outros países. Nesse sentido, esse tema pode ser foco do Enem.

ENTENDA O QUE ACONTECE NA ESCÓCIA:
Gana el “no” al separatismo en Escocia
PINN 


A região da Escócia, lutou durante os primeiros séculos de sua existência para se manter como Estado independente. Foi quando, em 1707, os Ingleses ameaçaram interromper o comércio e a livre circulação na fronteira comum. Os Parlamentos da Escócia e da Inglaterra promulgaram os Atos de União que criaram o Reino Unido da Grã- Bretanha. Desde então, a Escócia passou a ser parte do reino Unido.
Em 1997 a Escócia conseguiu restituir um Parlamento independente, que havia sido extinto 300 anos antes. Apesar de ter ganhado mais independência para decidir sobre algumas questões, a parte fiscal ainda é centralizada pelo Parlamento britânico – ou seja, a decisão sobre onde e quanto gastar é do Reino Unido, não da Escócia.

Questão Econômica
Os pró-independência afirmam que seria possível a Escócia se manter com a receita do petróleo do Mar do Norte. Os ganhos deixariam de ser divididos entre o Reino Unido. A Escócia também poderia  figurar entre as 35 maiores exportadoras de petróleo e uísque, por exemplo, e criar um sistema financeiro mais saudável.
Segundo alguns críticos, seria muito arriscado depender de apenas uma grande fonte de renda cujas reservas são finitas. Além disso, o mercado de petróleo não é exatamente estável e o preço do produto varia conforme o cenário econômico e político.
Uma questão relevante é em relação à moeda. Pois, Salmond insiste em manter a libra, mas com a separação do Reino Unido não haveria mais uma união monetária. Ou seja, como manter a moeda sem controle sobre a política monetária? E se ocorrer uma crise? Outra possibilidade, incerta, seria a adoção do euro. Mas ainda não se sabe como ficaria uma Escócia independente na União Européia. A quem proponha a criação de uma moeda própria.
Por causa dessa insegurança, a libra esterlina se desvalorizou e algumas empresas ameaçaram se mudar para a Inglaterra caso a população vote pela independência da Escócia.

Questão Diplomática
Os escoceses se baseiam no artigo 48 do tratado europeu para dizer que seria possível negociar sua manutenção. Já quem se opõe à independência afirma que eles teriam que se candidatar e passar por um processo normal - e longo - de adesão. Essa questão está em aberto.
Outra dúvida é em relação aos armamentos nucleares britânicos. Quatro submarinos ficam estacionados em uma base naval escocesa e Salmond já avisou que caso a Escócia se torne independente não vai mais mantê-los em seu território. Isso significaria custo e tempo para a Inglaterra construir outra base marítima e transferir os equipamentos.
Finalizando, há a questão das fronteiras. A Escócia é um país com a população envelhecida que tende a incentivar a imigração. Se o país for rapidamente aceito na União Europeia e passar a fazer parte do Acordo de Schengen (convenção que permite a livre circulação de pessoas, do qual o Reino Unido não faz parte), pode ser que se crie um conflito com a Inglaterra.


SAIBA MAIS: 
ESTADÃO
conjur.com.br
O sentimento separatista ganha força na Europa.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Ebola 'é maior desafio de saúde pública desde surgimento da Aids' (BBC BRASIL) / DICAS ENEM 2014

A epidemia de ebola na África Ocidental pode ser comparada com o surgimento da Aids em termos do desafio que impõe aos gestores de saúde pública, segundo Thomas Frieden, diretor do Centros para o Controle e a Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), ligado ao Departamento de Saúde dos EUA. 


[...]  Durante a reunião, o vice-diretor da Organização Mundial de Saúde (OMC), Bruce Alyward, afirmou que o ebola está "enraizado nas capitais" dos países mais afetados e está "acelerando em todos os aspectos". [...]


CONTINUE LENDO: BBC BRASIL

21- Racismo/ DICAS ENEM 2014


Alunos (as), o racismo nos campos de futebol pode ser evidenciado após o episódio sofrido pelo jogador Daniel Alves, que foi atingido por uma banana em uma partida. E mais recentemente, com o que ocorreu, quando a torcedora gremista foi flagrada xingando o goleiro santista Aranha de "macaco" durante a partida entre as duas equipes pela Copa do Brasil (esportes terra.com) 
É relevante salientar que o racismo está impregnado na história do Brasil, história herdada, repassada para as gerações mais jovens que agem de forma discriminatória inconscientemente. Portanto, é um problema social e como tal deve ser tratado. É importante buscar no processo histórico causas desse racismo, que é oriundo de épocas remotas com precedentes religiosos e imperialistas nos diferentes continentes.