quinta-feira, 17 de abril de 2014

O Mercosul e seus entraves

A criação do Mercosul (Mercado Comum do Sul) em 1991, é fruto da aproximação diplomática entre Brasil e Argentina, ocorrida em consequência da redemocratização de ambos, em meados da década de 1980. Sendo que em 1985, os presidentes civis do Brasil e da Argentina assinaram a declaração de Iguaçu, na qual demonstravam a determinação de implementar um processo de integração bilateral.
Com a adesão do Paraguai e do Uruguai em 1991, pelo tratado de Assunção, os contornos do Mercosul ficaram definidos. Em 2006, a Venezuela tornou-se um "sócio pleno de adesão" do bloco; até 2010, os parlamentares da Argentina, Brasil e Uruguai já haviam aprovado a entrada daquele país como "sócio pleno" e, em 2012, sua participação foi autorizada durante o processo de suspensão do Paraguai, ocorrido em virtude da destituição do Presidente Lugo, considerada pelos países- membros transgressão da ordem democrática.
Os integrantes do Mercosul são países que se destacam por possuírem recursos econômicos volumosos, como por exemplo jazidas minerais, empresas industriais e comerciais de grande porte, bancos e sólidas empresas agrárias. É importante salientar o interesse de grupos transnacionais que operam principalmente no eixo Brasil- Argentina e desfrutam do benefício de uma área de livre-comércio, facilitando o trânsito de componentes industriais entre suas filiais instaladas nos dois países.
Etapas da implantação do Mercosul:
1ª etapa: Zona de Livre Comércio: os produtos brasileiros, paraguaios, argentinos e uruguaios, circulam livremente, sem cobrança de tarifas de importação e sem nenhuma restrição.
2ª  etapa: União Aduaneira:  estabelece uma taxa comum para importações de outros países de fora do bloco. Assim, os integrantes do Mercosul não podem estabelecer relações comerciais de forma independente com países extra bloco. Esse é um ponto de divergência entre os integrantes.
3ª etapa: prevê a livre circulação de capitais, equipamentos, máquinas e mercadorias entre os países integrantes do bloco, permitindo a plena integração econômica entre os membros.
O que ocorre, porém, é que dessas três etapas, nem sequer a primeira foi devidamente consolidada. Atualmente, verifica-se crescentes conflitos comerciais entre os países-membros marcados pela imposição ou pelo aumento de tarifas incidentes sobre produtos industrializados, principalmente por parte da Argentina, que tem adotado políticas cada vez mais fortes de proteção a sua indústria nacional (o protecionismo alfandegário).
Desde a sua criação o Mercosul caminha em duas direções: a que leva à ampliação numérica de membros e a que busca o aprofundamento das relações entre os países- membros. A única inclusão possível foi a entrada em 2006 mas ainda não concluída.
As crises econômicas entre os dois principais membros Brasil e Argentina e imposição por parte do governo argentino, de salvaguardas de exportação aos produtos brasileiros, alegando que esses produtos concorrem de forma desleal, provocando desemprego e desestruturação dos setores calçadistas e têxtil na Argentina. Já o Brasil procura contornar esses problemas, seu propósito é ampliar sua base em toda a América Latina.

terça-feira, 8 de abril de 2014

RELEVO

Querido aluno, o relevo é resultado da dinâmica da Terra, ou seja da ação de fatores endógenos (internos) ou exógenos (externos), podendo ser classificado de acordo com a variação de nível. Entre os fatores responsáveis por dar forma (modelar) ao relevo estão os vulcões, terremotos (fatores endógenos), clima, chuvas, geleiras, ventos, a ação do homem, entre outros (fatores exógenos).
Conhecer as diferentes formas de relevo é de suma importância para a realização das atividades humanas, sendo determinante na construção de fábricas, rodovias, residências, etc.
Podemos destacar quatro tipos de relevo: planície, depressão, planalto e montanha.


Planícies
Planícies – são terrenos relativamente planos, formados principalmente a partir de rochas sedimentares.
Há também a planície litorânea, que consiste nas regiões próximas ao litoral.
 
Os processos de sedimentação superam os processos de erosão.




Planaltos
Planaltos – são relevos marcados pela variação de altitude, apresentando formas distintas, como serras, morros e chapadas. Normalmente essas áreas são extensas e possuem forma ondulada. Os processos de erosão predominam e superam os de sedimentação. Em suas bordas, aparecem escarpas ou cuestas, comumente chamadas de serras.


Depressões


Depressões – é um tipo de relevo caracterizado por apresentar altitude inferior à do relevo em sua volta. A depressão pode ser classificada como absoluta, desde que esteja abaixo do nível do mar.


Montanhas



Montanhas – são grandes elevações da superfície terrestre, sendo consequência de fenômenos como atividade vulcânica, terremotos, etc. Esse tipo de relevo apresenta terreno bastante acidentado. Conforme sua formação, podem ser jovens (formadas no Terciário), portanto mais elevadas. 



Visão geral do relevo:






1ª Sessão de Audiência - Violação de Direitos Indígenas

Querido Aluno, a população que se declara negra também possui antepassados ​​Indígenas. É o que mostra outra pesquisa genética encomendada pelo grupo de comunicação BBC-Brasil, segundo a qual 12% dos negros que tiveram Seu DNA analisado têm ancestrais Indígenas.
Fonte: IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)


1 ª Sessão de Audiência - Violação de Direitos Indígenas

g